quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Conto Narrador-Personagem na terceira pessoa [5]


" E o meu, poesia de cego, você não pode ver..."

Por mais que tentasse falar, mantinha-se calada, enquanto fitava a parede vazia.
Esta era a sua única companhia ultimamente, e daí?
Não entendia a necessidade que vinha de dentro de dizer que não estava sozinha,
que tinha a si mesma como companhia, e não precisava da parede branca, só para desaforar.
No entanto, era verdade que toda a dialética muda da poética parede inerte a inebriava.
Era comum ver-se concentrada na expansão do vazio que a fitava, branco e infinito do plano da parede.
- Eu não estou sozinha, porque o teu vazio me absorve, e me enche de uma solidão branca consentida. Aí então, eu me vejo parada, sendo o que és, e a partir deste momento, passamos a existir como um algo único e infinito. Somos parte de um todo dinâmico, que quase não existe, porque se baseia em vazios. Deixamos de ser, e passamos a coexistir com a não existência. Tornamo-nos nada, e o que não existe, não é só!
A parede convenceu-se, e deixou de arrogá-la. Tornou-se mais silenciosa que antes, deixando a moça em companhia do próprio silêncio.
A partir daí, do desprezo que começou a receber da parede, tornou-se dolorosamente só!

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Com Requintes de Crueldade


E sereno, o amor adentra os peitos,
sem consentimentos,
e passa a coexistir com os medos, sonhos, rancores...

Molda-se, pinta-se, torna-se parte da carne mole e doce.
Vasculariza-se, enche-se de sangue arroxeado.
Pulsa, envereda-se por poemas consagrados,
e faz de si
poesia andante, viva e eficaz.

Parece verdade requerida,
vontade suplicada,
mas não,
é engodo e desafio ingrato.

O Amor se contenta, e se enche.
Depois, se vai, como veio,
sem pressa,
e sem rumo.

Deixa cá, o vazio, a falta,
e pior:
o costume.

Mas, há quem viva sem a 5 ª cavidade preenchida,
e ainda, os que de remédios se valem para curar a dor da ferida aberta de sangue estancado.

Não importa!

Sei que as reais intenções, são mascaradas pelos sintomas febris.

Ocorreu um erro neste gadget