terça-feira, 30 de setembro de 2008

carta-garrafa


Remeto-te esta carta,
não sei onde vai chegar....
onde estás tu, amor perfeito?
quando virá me encotrar?

Minha essencia em ti trescala,
cheiro fresco de amanhecer.
Imagem espelhada de mim
nalgum lugar além do horizonte,
apressa-te em me encontrar...


sei que o mar vai banhar os teus pés,
e servirá de correio entre mim e ti...
grande distância, de grandes ondas,
que se estendem pregiçosamente na imensidão azul e profunda.


Quem és tu amor perfeito,
onde te escondes?
apressa-te em me encontrar...

Declaração precipitada,
de alguém que sofre por esperar...
minhas lágrimas aleitam o oceano,
e minha tristeza salga o mar....
estou perdida neste grande mundo,
será que podes me achar?
Quem és tu amor perfeito,
me diga quem és, que já não durmo...
apressa-te, que já não sei
o quanto posso esperar...

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

borboletas ditas




de novo o coração bate mais forte


a barriga cheia de brisas


mãos geladas, calafrios...


os lábios falam o que o coração tenta esconder...


os olhos desesperados vem e vão sem saber o que enxergar....


as mãos desenfreadas,


escrevem, o que não quero admitir:


cabeça age sem pensar...


um arrepio percorre a espinha


e versos se fazem devagar...


da boca saem borboletas coloridas...


palavras em desatino!


abro a boca e deixo escorrer


todo esboço de ideias e pensamentos...


e me sinto livre....


e me sinto esvaziar....


estou como as cigarras, que morrem de tanto cantar....


minhas pálpebras cansadas testificam os sonhos roubados,


a madrugada em versos e pensamentos,


o nascer do sol, que não me despertou para hoje!!!


Loucura de viver,


de não saber o que fazer,


de deixar o cérebro, o corpo, o coração agirem por si só!


mesmo se correr, ou se ficar,


não há saída, a não ser escolher onde andar...


o tempo passa....


tempo,tempo,tempo,tempo....


incessantes horas, segundos, momentos se sucedem ininterruptamente


e eu aqui, levada pelo vento....


as árvores não sentem o tempo...


as brisas carregam os desejos...


meu olhar, e minhas certezas, se perdem no horizonte...


não há como fugir!

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

apenas poeira...

já tentei escrever mil coisas,

mas nada sai de concreto,

só uma poeira densa,

que cobria algum móvel antigo com cheiro de mogno...

só uma fuligem,

da lareira acesa no inverno passado...


nada fresco, nada novo,

só o gosto de café-com-leite,

sem açúcar....


tem ainda, algo muito escondido,

ouço um barulho dentro de um velho guarda-roupa..

tem cheiro de naftalina...

algum verso se esconde...


sei que está aqui, dentro de mim,

prestes a ser escrito,

mas ele prende-se à goela,

engasgando-me...


a língua, ansiosamente espera,

o momento de inundar-se,

com misteriosas palavras

o momento de libertar a alma, de palavras tão

infecciosas...





*putz, será que dá pra entender alguma coisa????

pra mim faz muito sentido...

terça-feira, 9 de setembro de 2008

versos sem conexão



O vento sopra meu rosto trazendo toda uma gama de idéias e pensamentos...

leva consigo também, um misto de sentimentos, e palavras, e versos que rescendem na minha áurea, como o calor que emana da pele...

agora o vento vai longe....

meus versos vão longe....

rodam o mundo e retornam diferentes, encorpados...

cheios de mistério e encanto....

mil impressões distintas, mil arrepios, mil essencias...

versos que nunca serão falados ou escritos....

nunca serão interpretados, só sentidos....

pela alma, de quem está atento,

pela espinha, num arrepio,

pelos olhos de quem sonha....

as ondas do mar molham os meus pés....

uma baía acolhedora é meu coração:um porto seguro....

a tempestade cai em meus olhos, mar aberto,

e minha boca, uma vazante de versos....

estendo a mão e toco uma estrela...

quente como uma lâmpada....

sua luz cintila, e não há interruptor...

circuito fechado todo o tempo, até que os anos, concentrem toda a matéria num ponto denso,

e ela não brilhe mais...

porém sua luz, percorre o universo...

sim, a estrela é eterna,

sua luz é eterna....

os meus olhos cintilam como estrelas....

tão doces...

olhos doces e rebeldes como o mel silvestre...

agitados como o mar de ressaca....

atentos a qualquer movimento.....

piscam ao vento...

danço com vento como se ouvisse música...

os pés em rápido compasso, e as mãos acompanham o vento...

o coração...tumtumtum,

marca o ritmo apressado:

é verão, é verão

no coração de quem sonha,

de quem traz dentro de si,

todo o litoral....

quinta-feira, 4 de setembro de 2008


É HOJE!!!!!!


Léo Gonçalves....
19:30 em IOS city....
como eu esperei por esse show.....
que o SENHOR abençoe infinitamente a vida do LÉO, e que esse culto,
seja cheio da presença do SENHOR JESUS....

"... e hoje sou livre, pois ELE vive, ELE vive, ELE reina em mim,
morte, pecado, foi derrotado, e eu sou livre, eu sou livre enfim, de mim...."
Ocorreu um erro neste gadget