terça-feira, 18 de agosto de 2009

Despedida(S)


Meu amor, quando te decidirdes a partir, nem te despeças...
Espera uma hora, em que serena, eu durma, e não possa ouvir tua partida...
Não me deixes carta alguma, peço-te, vai, repentinamente como viestes, sem aviso...
Leve todas as tuas coisas... Leve a foto da estante, e me deixes como antes, sem as tuas recordações...
Leva embora teu cheiro, dos meus lençóis, leva embora teus beijos, tuas breves despedidas...
Deixa-me como antes, sozinha no silencio...
Mas, quando fores, deixa as chaves na estante da sala, junto ao coração empoeirado, que teimosamente esquecestes sob os retratos...
Vai sem fazer ruído, e depressa, que meu sono é leve, e o sofrimento é intenso...
Não quero recordar o teu olhar retrospectivo, ao fitar os tapetes e as cortinas, que burlavam o mundo,
das nossas fantasias...
Não quero ver se vai chorar, ou suspirar aliviado, nem quero me perder em pensamentos de argüição...
Não! nem quero saber porque partistes...
Quero acordar, e ver o teu vazio inquietante...
Perceber o teu lado da cama intacto, sentir o silencio sem o teu respirar gostoso, ver a tua gaveta vazia!
E ainda, poder me convencer, que apenas havia sonhado... Que nunca existiras, de fato...
Vai amor, logo enquanto durmo, enquanto teu lado na cama ainda esta quente, e eu não posso sentir o frio do teu despertar...
Nas estantes, tuas imagens arrancadas dos porta-retratos às pressas, deixaram a marca da imprecisão... E o teu rastro molhado, da porta do banheiro ao espelho, deixa as pistas escorregadias dos teus dias incalmos...
Ai amor, te apresses, e vai... Não quero que vejas as lágrimas do meu desesperar, nem percebas a tristeza da minha vivência incomoda...
Lá fora, o sol brilha, e acende a áurea...Cá dentro, o vazio se agiganta, e a dor se concubina com a solidão da tua ausência...
Seguirei ao acordar, os teus passos, e tocarei tua despedida, ao virar a maçaneta...
Que sejas certo, e firme, como espero... Mas a porta, permanecerá entreaberta...


OBS: meu simples ver, de todas as despedidas...
Posso dizer, das minhas próprias, que machucam tanto,
e acabam sendo inevitáveis...
Mas despedidas são necessárias!
Eu acho...
Depois todo o vazio vira poeira...
Meus amigos, prometo q logo, logo posto algo legal...beijoOs...

8 comentários:

Rayza Santiago disse...

tu escreve com uma precisão que assusta *_*

que texto completo, perfeito, ficou impecável..

e minha parte preferida foi :

Não quero recordar o teu olhar retrospectivo, ao fitar os tapetes e as cortinas, que burlavam o mundo,
das nossas fantasias...

digno de qualquer grande romancista ou poeta famoso.

parabens pela milésima vez. =D

bjobjo

QueL MoraeS disse...

Amiga, q patético: eu no lab da facul, lendo seus textos, com olhos molhados...e o povo me olhandoo, o silêncio me olhando...
Buááááááá!! Eu odeio despedidaaas!!
Um dia eu ligO p vc! xD
Saudades ilheenses do povo de Conquista!
AmOooOo-te mto, dear friend!
Fik com Deus!

ERICK MOURA disse...

eu só não entendi uma coisa.
como assim "prometo escrever algo legal"
deixa eu so te falar uma coisa.
hoje eu parei pra ler todos os textos novos dos blogs que eu sou seguidor, e sem sombras de dúvidas o seu foi o melhor...
não tem o que argumentar...
INDESCRITÍVEL.

bj


tem texto novo no meu blog.

~~* Lila *~~ disse...

Puxa vida isso foi...foi ... foi tão lindo! tão verdade! nossa to sem folego!
bjuus

Amanda Luíze disse...

meu Deus, Nine! Você cada vez mais escreve textos belíssimos e ainda tem a humildade de dizer que vai escrever algo melhor depois como se o que já está escrito não fosse bom. Você sabe dar sentimentos a palavras, menina linda. Adoro vir aqui, sempre resplandeço ao ler seus textos.

Beijão

ERICK MOURA disse...

ei me add no orkut,.
to querendo conversar sobre algumas coisas de blog,.pode ser?
bjo pra tu

:]
http://www.orkut.com.br/Main#AlbumList.aspx?rl=ls&uid=14171199736158222644

ERICK MOURA disse...

tem texto novo no meu blog
;)

Suspiros de uma Mariposa Apaixonada disse...

Eu acredito que todas as despedidas sejam doloridas, mesmo qdo a partida é necessária. Mesmo quando nós escolhemos partir.


Lindo o texto.



beijoo

Ocorreu um erro neste gadget