sexta-feira, 9 de abril de 2010

Sublimando.

Só digo a você, amigo, que se perde em poesias, deleitando-se das rimas como carícias de amante: não se iluda.
Tantos românticos se perderam nas sombras do próprio verso, e nunca encontraram os amores que ansiavam. Escreveram como quem reza, como quem faz ritual, e encontraram temores, medos, nostalgias.
Na vida real, daquele que não se importa com o transcendente, parece simples, dar as mãos e ver o pôr-do-sol.
E sorrir, e encher a boca com "euteamos" doces, remeter olhares, considerações.
Não passam de engodo!
Ontem eu até tentei escrever um verso, mas nas órbitas do que parecia sinceridade, uma sombra antropurpúrea pintou o olhar, como maquiagem de Messalina.
Me espelhei no que via como verdade, e certifiquei-me, mais uma vez, o ser humano é sórdido e egoísta.
Mas, agora, nenhum verso preenche a gula masoquista por tecidos sangrentos. A vontade ensandecida de comer meus próprios olhos, e despedaçar o coração num só gesto de raiva.




Ps: este não é o texto que prometi. Ainda virá. E acho que fui precipitada em dizer que acabaria com o blog. Vamos ver...

7 comentários:

Leonardo B. disse...

[como versejava Gomes Ferreira,

"Procura a eternidade
de cada momento.

O resto é vento."]

um imenso abraço, Nine

Leonardo B.

Marcelo Mayer disse...

poemas são mentirosos

Valéria disse...

Meu tipo de final. Fodido. Muito show.

BeijooO'

M. D. Amado disse...

Se eu disser que o texto é lindo e foda, estarei sendo repetitivo? rs

Patricia Thomaz disse...

A FORMA COMO DESCREVE SENTIMENTOS TÃO FORTES É INCRIVEL...A RAIVA NOS FAZ PERDER A CABEÇA, A COMETER ATOS INESPERADOS.POIS NEM SEMPRE AS COISAS SÃO COMO DESEJAMOS E NEM SEMPRE GANHAMOS...

Cau Metal Amorim disse...

muito loco esse texto!!!
adoro a sinceridade XD
mas nao acabe com o blog nine
a sociedade precisa dele
bjos

Sylvia Araujo disse...

Uma agulha fina me furando a jugular. Bem assim esse texto. Maravilhoso.

Beijomeu

Ocorreu um erro neste gadget