sábado, 1 de maio de 2010

Persona non grata


É noite escura, uma Sombra* persegue-me, com o formato do corpo que eu não quis.
Sem asas, mas a uma velocidade assustadora,
milimetro por milimetro, ao encalce cego,
farejando meu cheiro, e ancorando-se aos meus pés.
De que adianta correr,
se de mim, não me escondo,
e o rastro meio escondido por entre as folhas secas, parece ser tão bom indicativo de passagem.
Poderia correr eternamente, e não olhar pra traz. E essa fuga constante, aliada aos relógios , nunca me levaria ao mais longe que pudesse do que me assusta.
Monstro de escuridão confusa. Cheio de fome de corpo,
desejando espaço para ser.
Espera os sonhos da noite, e cresce infinitamente, até tocar as pardes do corpo, por dentro.
E corro, e tento arrancar com as unhas, cravando-as no pescoço, para que se dissipe, para que meus sonhos, sejam indolores.
Ancora-se à realidade áspera, penumbrosa. Espreita-me de perto, quase beijando os lábios reais cor de rosa-clara.
Talvez, me encene do silencioso corpo mal iluminado, quase banhado de matéria, mas respingado de pedras e pó.
Eu sou o obstáculo, entre a sombra e a luz!
Preciso tornar-me transparente.


* Temática do Jung.


PS: Obrigada Allyne Araújo, do blog ' Êxtase e rock and roll ', pelo selo.



6 comentários:

Solange Maia disse...

acho vivemos sempre nessa linha tênue que divide a luz das sombras...

beijo

Priscila Rôde disse...

"Eu sou o obstáculo, entre a sombra e a luz!"

Uma só existe se a outra também permanecer intacta..


Adorei!

Amanda Luíze disse...

Estava com saudade de ler os seus textos.

Beijão

M. D. Amado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cau Metal Amorim disse...

o q eu mais adoro nesses poemas é q a gnt sempre acaba tendo reações e sentiimentos parecidos aos descritos e nao percebeXD
ahh e repetiremos a dose quando vc qizer
bjo Nine

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Perseguição carnal da rejeição?! Belíssimo! :)

Ocorreu um erro neste gadget