quarta-feira, 19 de maio de 2010

Sonetando 2



Os anjos se encarregam dos encontros,
esbarram no horizonte as almas que não se procuraram,
espelham em pedaços de papel os reencontros,
e desviam dos olhares céticos dos esclarecidos, os versos que desejaram.


Não é natural que o destino se enlace,
fita a fita, laço a laço,
na armadilha terrena que é o amor de impasse,
amuado, quieto, mudo, esparso.


Mas, de quietude é feito os céus,
graça azul de calmaria depressiva,
e de anjos instigados em solidéus.


E se empenham em tarefas incompassivas,
de desterrar corações quietos, dando-lhes amor,
não pedido, não desejado, invasor impertinente, assustador!

4 comentários:

Allyne Araújo disse...

muito lindo e profundo nine... bjo!!

Patricia s2 disse...

Concordo plenamente com a Allyne.

" E como um anjo caído,
Eu fiz questão de esquecer,
Que mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira.
Mas não sou mais tão criança a ponto de saber tudo."
Renato Russo

Priscila Rôde disse...

"E se empenham em tarefas incompassivas,
de desterrar corações quietos, dando-lhes amor,
não pedido, não desejado, invasor impertinente, assustador!"

Uma imagem invadiu minha mente.


Muito bom, Nine!

Patricia s2 disse...

linda tem selinho pra vc

Ocorreu um erro neste gadget