segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Aos perdedores


Quando tudo está pra dar errado,
o destino avisa,
é pragmático.
Retira com força todos os resquícios de esperança,
Faz com que todas as coisas tornem-se falidas,
e o ser acometido pela má-sorte,
Esse que caia em desespero.
Aí, já não adianta chorar,
ou arrepiar-se com os presságios.

Urubus, aos quatro-ventos,
anunciam o azar:
escolhem suas vítimas, como algozes,
e doam-lhes o infortúnio,
batizando-as com excremento:

"Ah, fracassados,
acostumai-vos à lama que vos espera,
cubrí-vos do pó dos vossos próprios infortúnios.
Sangrai os pulsos, se ainda tiveis dignidade!"

Como epitáfio,
uma cusparada dos Vencedores!



(pelo menos, achei a imagem que se encaixou perfeitamente ao texto)

2 comentários:

Sr.ta D. disse...

Ótimo texto, lembrei-me de Augusto dos Anjos, que por sinal gosto muito.
parabéns

***MissUniversoPróprio*** disse...

Xô, má sorte! ;)

=***

Feliz Natal e um 2011 cheio de boas energias.

Ocorreu um erro neste gadget