domingo, 23 de janeiro de 2011

_Homo social_


As têmperas desgastadas, exibem uma clara cor sem ternura. Todo o rosto parece imerso numa expressão contínua de nojo. Totalmente sem marcas, sem rugas, os olhos fixam-se sempre à frente, sem espanto. Vivendo esporadicamente, como quem dormita, este humano (que somos todos nós) não espera. Adianta-se sempre, com os passos apressados a caçar segundos. Atravessa horizontes sem nem se dar conta do que fica para trás, ou do que é atropelado pelo caminho. Pudera então, ser nomeado cego!
  Repleto de escárnio,  despeja-o sobre os outros, sempre sucinto, sempre inerme. Envaidece-se, de seu rosto sob medida. A massa corrida aguada, moldada meio quadrada, com os vértices a escorrer no pescoço como suor. O lado, rente ao mistério que há por baixo, é desgastado pelos dias encarados de frente.
  E cada dia mais sem aspecto, o semblante morto, exibe a indiferença.
 Humanos de máscaras, perdidos, vagam através dos caminhos, cambaleantes. Encontram tantos outros desconhecidos também vestidos com as ditas máscaras engenhosas. Traçam rotas, designam paradigmas...
  Por fim, crêem com plena convicção, na veracidade da ilusão que criaram.
Até que ponto há uma verdade, de fato, por trás da máscara tão perfeitamente colocada?

5 comentários:

Lucas disse...

Massa demias, Cabeça!

Juliane S. Rocha disse...

E essa transformação é mais comum do que se pensa, pessoas vão moldando suas faces criando como uma máscara, e fica tão perfeita porque esquecem da verdadeira.
Beijos

erickmourageo disse...

olha so que belo texto...
voce sabe que eu adoro o tema ne?
deve ser por isso que pediu pra eu passar aqui.(fez bem me chamar. uhahua)
pois é... e essas pessoas (que somos nos) vive brincando de viver
o pior é que ele vive num mundo e nao sabe disso, ele vive perto de tantas outras mascaras e nao sabe disso.
e tudo vai ficando assim... como um baile sem graça de mascaras brancas.


Erick Moura

Luan Fernando disse...

Você ganhou um selo do Sentimento Padrão!

Acesse o link: http://sentimento-padrao.blogspot.com/p/selos.html

Ricardo Marcelino disse...

Que beleza de rimas e emoções combinas em texto menina! Dá pr'a projetar um livro com o que tu imaginas...

Fico a esperar mais publicações, mas acho que isso não é novidade... Há tantos que te seguem por aqui que vou ser apenas mais um de teus leitores... Mais uma vez, parabéns!

No mais,
Até mais ver.

Ocorreu um erro neste gadget