sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

poesia num periodo só



Do teu coração
pintado a giz no chão
da sala, à desespero
poético e moral,
não ouço a batida
quase que habitual
do pulsar da vida
frasal, que da tua boca
emergia intensa
e propensa
a tocar o outro (coração)
apaixonado,
tangente à condição
enérgica e tola,
da alma que descansa
na dispensação
mítica,
numa redoma de vidro
e fria,
da lembrança que virou desejo.

7 comentários:

Denise Prates disse...

Que LINDO Nine!

Lindo lindo lindo lin-do :D

:**

Mamello disse...

Tu foi muito clara aqui no que eu sempre digo em meus escritos, implicitamente:
"A lembrança que se torna desejo".

=)

Obrigado por avisar, minhas férias estão acabando e vou ficar online mais vezes.

Você usa o msn?

Mamello disse...

Pois pois...rs!

Todavia é muito bom manter contato por aqui.
Pra vc também, se estiver. Segunda volto a vida normal.

Beta Profice disse...

Também não posso deixar de comentar sobre "a lembrança que vira desejo"...é tão frequente pra mim que, por vezes é preciso que eu esqueça, não lembre ou pelo menos finja...
LINDO texto, menina!
=)
beijo*

Mamello disse...

Já escrevi algumas, mas me sinto um bobo...rssrss! Prefiro ler.
Adoro as de Vinicius de Morais.

Anônimo disse...

Nossas dúvidas são traidoras,e nos faz perder o bem q poderíamos conquistar se ñ fosse o medo de tentar!

By: Danilo ;D

égila disse...

Gostei da sua forma de escrever... poemas se assim posso chamar...
Mas vc me conhece é? Vc faz uesc? Infelizmente sua foto nao da p saber quem és... que pena

Valeu pelo comentario no meu blog, gostei tbm do seu complemento, se me der autorização posso por ser pensamento no meu texto, claro em " ".
Obrigada e fico esperando resposta!

Ocorreu um erro neste gadget