terça-feira, 6 de janeiro de 2009

revolta dedilhada em prosa (C maior)


As palavras que calam os lábios,
como beijos de dormência,
causam em mim, um turbilhão de sentimentos confusos...
o que poderia dizer, se os vácuos são tão grandes,
se em meio ao olhar,
há o abismo do silêncio, e o vazio dos significados?
não te fies de mim, ó tempo,
não esperes grandes demonstrações de coragem,
ou tão belas imagens, que possam comover
alguma dessas estátuas de mármore,
calcificadas ao longo do tempo, e dos longos caminhos...
antes disso, os lábios balbuciam
uma destas canções de amor,
pronunciadas sem qualquer noção de significado...
o paradoxo das coisas me completa,
assim como um "til" define um "não"...
minha metamorfose não está completa!!!!
uma intriseca volúpia ardente,
e incauta estabelece
a revolta prosódica
que me exarceba de saudade,
e me faz transbordar de lembranças...
e desejos...
os meus sonhos dedilhados nesse violão de duas cordas
ressoam retumbantes
pelas paredes intransponíveis
do coração adoecido,
e se fazem ecoar pelo abismo
profundo da garganta sedenta....
de palavras, de versos, de sentidos...
as palavras mais garbosas desfilam suas garras
em busca de prêmios,
prontas para ferir e aniquilar...
os meus olhos fixos no horizonte tateiam
em vão, qualquer resquício fossilizado de certeza....
e só resta a dúvida da criação do destino predestinado...
talvez uma ilíada poética escrita há muito tempo,
ou uma poesia como esta,
em formação,
vomitada sobre as teclas esparsas do teclado....
pois escrevo ao mesmo tempo que sinto,
e não minto,
o que, por instinto, se derrama como o primeiro grito de dor de uma mulher em trabalho de parto...
sim, minha gestação incompleta enraíza-se
projetando sobre todo o meu ser,
a sensação do vazio sintático,
do verbo que se faz existir,
do encontro casual das almas extasiadas,
que nunca sonharam ser,
mas amar...
e assim, findo esse prólogo de consciência,
advertendo-vos do que virá
quando explodir de versos e choro...

5 comentários:

Mamello disse...

Adorei o que li e vi muito de mim aqui.

(Amei teu comentário, amiga.)


Beijo Pernambucano.

Beta Profice disse...

"pois escrevo ao mesmo tempo que sinto,
e não minto"...Essa é uma das TANTAS semelhanças que temos, as outras estão espalhadas pelos seus versos!INCRIVEL como sinto-me confortável aqui!! =)
Plagiando nosso amiga Mamello...
Beijos cariocas! *

Beta Profice disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beta Profice disse...

Puxa vida!Que pena!
Mas, mande um e-mail sempre que quiser!
Vou apagar pra não ficar vagando pela net, é pra poucos e bons amigos!Assim que possível, seja bem vinda!
=)
bjo*

QueL MoraeS disse...

" o paradoxo das coisas me completa"... o resumo do meu estadO. Encontrei-me no seu post!!
Beijo!

Ocorreu um erro neste gadget