sábado, 25 de abril de 2009

Resíduos do lixo (interior)


Teve aquele garoto,
que me pediu dinheiro ontem,
e eu não dei...
Agora me arrependo,
penso em seu estômago vazio,
e o meu prato-cheio de desdém...



Aquele garoto do lixo,
lixo das minhas atitudes,
resíduo da minha consciência lavada,
"culpa de ninguém"...



E me engano,
e acredito nas mentiras contadas
ocasionalmente,
por pessoas barrigudas e bem vestidas,



E me emboloro de circunstâncias egoístas,
motivações ensandecidas,
Conjecturas nada idealistas,



E enjoo ao cheiro da comida,
do prato cheio de besteiras,
comida escassa que cala a boca do pobre,
e enche a gula dos ricos...



As bolachas recheadas que matam de
obesidade,
pirão de farinha que cola o estomago do favelado...



Pão e circo,
que esconde miséria,
em lonas estreladas,
céu colorido...



A criança não entende,
e acha que o barbudo,
é papai noel, pai dos pobres...



E cada um, afogado em suas histórias medíocres,
em suas mesas repletas,
em suas televisões telas planas,



E o trabalhador explorado,
morre de fome,
afogado nas mazelas
da sociedade rolante...



E estes versos, cuspidos da revolta,
do vômito sintático,
da consciência do egoismo
não enchem a barriga daquele menino,
não preenchem seu coração,
do que lhe é negado,
mas enchem-me de culpa...



Vítimas bestas do capitalismo...

Eu,

egoísta,

o garoto,

sem sonhos...

3 comentários:

Anônimo disse...

nine vc me tocou com essas palavras.Muito interessante e crítico , faz qualquer um parar e refletir.
eu estou refletindo......

Rayza Santiago disse...

adorei suas ideias, esse texto ta super bem escrito, parabens ...

so uma coisa, somos vitimas msm do capitalismo ?

bjo

ta nos meus melhores.e

Ricardo disse...

oi muleca!
segunda,depois da aula, filipe e eu vamos nos reunir para decidir o perfil do blog
vc esta sendo intimada para nos ajudar!!!
podemos até usar esse poema
realmente...ele é MUITO LOCO!!!!
bjux!!

Ocorreu um erro neste gadget