quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Presságio

É um vento que arrepia a espinha,
uma sensação irrequieta,
que não deixa dormir...
A mente, sempre atenta,
os passos que se fazem receosos...
Coruja que pia sob a noite,
anunciando qualquer mau presságio para os atentos,
Situações que levam a caminhos opostos,
empecilhos, medos...
Difícil saber o que fazer,
quando o escuro nos vigia de perto,
nos tateando com as sombras projetadas sobre os corpos,
ou com as que ganham vida, na mente assustada...
O que fazer, quando o silencio reza,
e canta o terror, o medo,
e vira palco para as assombrações imaginárias,
para os fantasmas nada camaradas,
para a violência contra a sanidade...
A sensação presa no peito,
imensa, e audível como o pio da coruja,
deixa o espírito em alerta:
Algo de ruim, pode acontecer...
E eu, que não acredito em sexto sentido, premonição, presságio,
cruzo os dedos,
e faço preces...
A adrenalina em alta, simpático ativo,
transformam a mente, numa história de terror.
Muito, muito medo!
PS:
Não acredito em preságios, mas sei que o perigo imprime em nós, esse tipo de sensação.
O perigo habita dois olhos negros, como o mistério das noites repletas de corujas piando!

6 comentários:

Marcelo Mayer disse...

nem eu acredito. acredito mais no vagabundo da esquina do qualquer "acho que hj vai acontecer algo"
dã, claro. todo dia acontece algo em nossa vida.

bom, poema livre, solto, sem rima estabelicida ou regra anunciada... de parabéns!

Evelyn Colly disse...

''Difícil saber o que fazer,
quando o escuro nos vigia de perto,
nos tateando com as sombras projetadas sobre os corpos,
ou com as que ganham vida, na mente assustada...''

realmente é muito dificil fazer algo quando nus vemos presas por entre grades obscuras de algo que passar a existir dentro de nós: o medo.
Mas está dentro e nós que devemos ter controle sobre ele, e não o medo sobre nós, pois ele é devasso e irreverente toma espaços e territorios de nossa mente que são nossas, vira um peregrino sem passagem de volta, então quando nus damos conta somos controlados por ele, ao invés de impormos nossas vontades.
Controlemos o medo e o transfomemos na força que nus impulsiona para vencer, pois ter coragem não significa ausência de medo, mas sim paz para enfrentá-los.

obrigado pelo comentário queria.
Mais um lindo texto teu que estou lendo. Parabéns.

beijos... boa tarde.

Tatiane Trajano disse...

Euuuuuu acredito...rs
m.e.d.o!

A Magia da Noite disse...

sentir o abismo é saber que se se apresentar poderemos quer cair nele.

♥Lilinha♥ disse...

*-*
incrivel!
bjinhuuus
bom domingo =D

***MissUniversoPróprio*** disse...

Eu acredito em sexto sentido, que não deixa de ser um presságio.

Tu escreves bem demais, viu? ;)

Beijos e obrigada pela visita!

Ocorreu um erro neste gadget