segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Tratado sobre o Bloqueio morfo-sintático-semântico criativo de cunho poético aliado à preguiça mórbida


Doença primeiramente percebida em pessoas nada razoáveis, que tem como instinto, a poética. Não se sabe, certamente por quais estímulos, se é genoma poético, ou alterações hormonais, ou ainda, influência do ambiente.
Os indivíduos afetados expõem uma série de sintomas plásticos, e flexíveis, variando conforme o grau de incertezas casuais. Há os que sintam-se vazios de sentimentos, como se os mesmos tivessem “arrumado” as malas (literalmente), e posto-se para fora, levando tudo consigo. Outros, sentem-se tão carregados de emoções, que não conseguem externar, estas tornando-se um tipo de tumor semântico, a obstruir os pensamentos sistêmicos.
Não é um problema de fácil identificação, pois ás vezes os sintomas aparecem mascarados, ou ainda, mostram-se amenos.
No princípio, são tidos apenas como uma dor de cabeça diferente, na parte frontal das idéias, depois essa dor estende-se aos membros de maior articulação, como as palavras e orações.
Com o passar do tempo, as sentenças ficam comprometidas, e é necessário o uso de band-aid para proteger as chagas ensangüentadas, e a parte exposta da dialética minguada.
Falta de força, também é comum, como a incapacidade de segurar um lápis, ou de permanecer com a coluna ereta ao digitar qualquer bobagem.
O sentimento de solidão também aumenta, e há a necessidade de musica alta todo instante, ou de comunicar-se de qualquer forma com algum outro ser que leia pensamentos.
O indivíduo permanece estático, por um período de tempo, chamado, na literatura literática, de metamorfose paradigmática, em que há um desenvolvimento ontogenético completo, de mudança total de maquinária poética.
O tratamento é feito verbalmente, como por exemplo, a re-Educação vocálica, e os textos pronunciados sem conceituação prévia. Dormir, e sonhar, também podem ajudar no tratamento desta patogênese, posto que, o individuo doente permanece algum tempo rejeitando sonhos.
Os remédios, são homeopáticos, como soluções super-diluídas de sentimentos-estímulo, que possam ampliar noções nas redes neurais, e ainda, injeções de elementos sintáticos novos.
O comportamento de pessoas que sofrem deste “mal” pode ser duvidoso, ao passo que, podem emudecer, ou gritar constantemente mazelas infindáveis, e hiperbólicas. Também fazem pseudo-poemas, para mascarar o desejo compulsivo de poética complementar aos anseios perdidos.
Há um tanto razoável de conjecturas sobre a cura total da doença, e volta ao estado padrão de comportamento desses doentes. Mas, nada certo, ou com comprovação científica.
O certo, é que o tempo de vida dessas pessoas pode ser longo, se tratado cotidianamente, e imensamente reduzido, se brevemente, tentarem sobrepor as realidades.

Créditos da imagem: blog http://blablablachic.blogspot.com/2008/11/modelo-de-croqui.html- no google imagens


6 comentários:

Lucas disse...

Adorei, Cabeçãooooo! E não é só pq prefiro textos, tá! :*

Levi Agreste disse...

ser que leia pensamentos...

texto muitíssimo bem escrito! :D

beijo

ERICK MOURA disse...

nao tenho nem o que comentar..
qualquer comentario seria pqueno pros teus textos...
esse sim é um blog com conteudo, e sem duvida um dos melhosres que sou seguidor.
isso tambem fica claro quando eu vou fazer a lista dos melhores textos do mes que sai todo ultimo dia do mes.
e na ultima vez seu blog teve dois textos mencionado.
parabens por sua capacidade...

um grande beijo pra voce...

ERICK MOURA disse...

fiquei um tempinho sem entrar na net por falta de tempo, mas agora estou de volta.
fiquei alguns dias sem postar nos dias certos que é dia de terça e quinta.(dia de postar no meu blog.)
mas arrumei um tempinho agora, e voltei com tudo.
por sinal tem ate texto novo, pode entrar e conferir ;D

bj

ERICK MOURA disse...

sobre o teu orkut.
manda novamente o teu e-mail pra eu te add.
bjao

Rayza Santiago disse...

ainda nao havia visto um texto por aqui, e nao foi q vc conseguiu me surpreender mais ainda ?

*_*

perfeito, muitiiiissimo bem escrito.
sincronia exata de palavras.

=*

Ocorreu um erro neste gadget