quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Desconforto

DESdigo, o incerto,
reUSO, as desculpas,
empalideço frente às consequências...
Medo eloqüente, de quem conhece a dialética,
de quem de forma hostil, ignora as tolices,
e reedita tantas Coisas, até ver um signo novo, presentear os sentidos...
REintegro projeções, às lembranças esquecidas,
me desFAÇO, me rePinto...
Incerta, caminho pelo rumo que rabisquei a lápis HB...
Traço fraco, quase apagado,
Rasgando as Fibras inconstantes dos pensamentos,
e se moldando,
delgado e sinuoso,
às IMprecisões da hostilidade,e renúncia...
Não encontro refúgio,
no mundo que inventei,
Não tenho esconderijo, e lido, incansavelmente,
com todos as faces das insanidades que internalizo...
Meu mundo pequeno,
quase microscópico,
para a poética que se intumesce,
embebida em água, e germinante,
contextualizada com as realidades ásperas, e não prodigiosas...
CONSTÂNCIA impregnada de desagravos,
de PRÉestagnação!!!
É meu verso pálido,
de secagem ESMIUÇADA...
DESenganado, esparço, remetido incauculado,
em devaneio rouco...
São minhas valências, estagnadas,
semi-Hibridizadas*, de palavras, palavras, plavras sem sentidos,
sem significações que concretizem qualquer idéia...
Meu Eu, desejo AGUADO,
sujo, às vezes, internalista, egoísta, chamuscado de vertigem,
de bobagens,
de quase nenhuma irresponsabilidade...
Resguardado de conclusões, e preenchimentos...
Doído da perda,
descontando na poética fragilizada...

4 comentários:

Marcelo Mayer disse...

eu fico pasmo com poemas lisérgicos. hj tem um significado, manha outro. eu chapado vejo uma coisa. eu careta vejo outra. com raiva sinto amor, com amor sinto raiva

e vc consegue fazer isso muito bem

Otavio Alcantara disse...

Interessante como uma história, de certa forma "melancolicamente acolhedora" consegue, ao mesmo tempo, ser aconchegante e agradável de se ler qndo ditas com suas palavras...

Vc retrata bem seus pensamentos, e o pensamento tbm da maioria. (pelo menos o meu está incluso ^^)

Perfeito, Garota... Perfeito.

Continue 'descontando na poética fragilizada' toda essa sua sabedoria e perfeição com a manipulação de suas idéias e palavras... Pois enquanto suas palavras estiverem expressas aqui, lerei sem sombra de dúvida.

Abraço.

Sonia Agreste disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

os seus são bem marcantes :)
Levi

Ocorreu um erro neste gadget