terça-feira, 19 de maio de 2009

O Antes


Não é um texto de memórias...

Ai, o antes...

Tão dificil e dolorido é pensar nele agora...Como estar suspensa apenas pelos polegares, tangendo o chão...

E a memória dos momentos, das fotos, das coisas...

Como tudo já fez muito mais sentido, quando as coisas não eram complicadas, nem complexas...

Quando abraçar um amigo, era apenas abraçar um amigo, e podíamos dormir juntos...

Mas, só tenho o agora, e o rumo que todos os destinos tomaram...

A gente sempre acha, que as pessoas nos acompanharão pra sempre...

Ingenuidade!!!

Todas as emoções que vivi correm barulhentas pela minha memória...

Tantos risos, musicas, confissões...

tudo!!

E nada volta...nem uma palavra volta...nem um abraço volta...

E hoje, procuro cada parte do meu passado...

Cada um, e as sensaçoes que causaram em mim...

Foram todos dispersados pelo vento do tempo...Cada um com sua vida, e agora nova vida...

Receio estar sentimental demais...Perdoem-me , meus queridos leitores, esse texto, disperso, confuso, e um tanto sem nexo...

Prossigamos...

Queria voltar no tempo, e sentir meu coração leve...

Queria não ter que fazer escolhas tão importantes...

Queria poder rir livremente, sem esforço, e ser só uma a correr pela cidade, tomando sorvete de casquinha com o queixo todo sujo...

Queria pensar novamente, que o futuro é amanhã, e não os proximos infindáveis anos, contados de semestre em semestre, e notas que não dizem nada!!!

O Antes, tão simples...Tão puro...

Não é como o hoje...E dói...dói tão intensamente relembrá-lo...relê-lo...

O antes, como esse quadro pintado, por não sei qual insiração, atado à parede, firme e imóvel,

saltando da tela, uns detalhes perfeitos, como desordem...

A luz, agora mostra um corredor intacto...paredes vazias, esperando novos quadros,

e receio, ter de prosseguir...

Mas as lágrimas caem, e vejo, ternamente cada rosto gravado...

e também, uma faca que corta a corda que nos atava...

Vão amigos, conquistar tantos outros corações, cada um com seu sorriso, com sua forma única da ser...Levem, e seus olhares, a essência da nossa juventude, de todas as aventuras que passamos...

Preencham seus corredores...


Um comentário:

Mamello disse...

As dificuldades de preencher os corredores, somos nós mesmos que criamos.

Íncrível como pelo menos 2/3 dos nossos problemas são criados e sofridos antecipadamente por nós mesmos.

Quando aprendi isso, comecei aos poucos, a dar cor ao meu corredor e a pendurar quadros essencialmente mais belos.

Ocorreu um erro neste gadget