quinta-feira, 4 de junho de 2009

Sonetando...



É frio intenso, de gélida noite,
o olhar de vidro fino, rachando,
os sentimentos vis que dilaceram-se em açoites,
e as calmas esperas que adormecem sonhando...


E não temo a sorte, mesmo que acanhada,
pois amo os versos das lamúrias incautas,
e a melancolia sublimada, nos meus versos achada,
entôo abismada, ao som doce de flauta...


O tempo, que amassa as palavras
enverniza, ao mesmo que escalavras,
o coração que eternamente agoniza...


E não desespero, ao ente machucado,
nem às tristezas, que houvera buscado,
pois em mim, a poética estabiliza.



PS:Queridos amigos, leitores, desconhecidos, não quero tomar-vos por cobaia, mas andei arriscando uns sonetos...
Se a leitura for cruel, desculpem-me, desde já!!!(sei que as rimas não são tão boas,nem as sílabas poéticas estão totalmente certas...)
Adverto-vos: É só uma EXPERiÊNCIA!!!!

5 comentários:

.°Fabby°.Psy¨ disse...

- Po amik...vc sabe que como cientista a experiencia é o caminhu...então continue experiemntando, pois estou amando os resultados!! (Y³

Amanda Luíze disse...

Não seja tão parnasiana. Você escreve muito bem.

beijos

~~* Lila *~~ disse...

ahhhhh mas essa mocinha é modesta né? hauhauahua
num tá cruel naum huahauahua
bjinhuuus

Mamello disse...

A humildade veio aqui e ficou.
=)


Adorei!

M. D. Amado disse...

Se for pra ser cobaia desse jeito, eis-me aqui rsrs

Ocorreu um erro neste gadget