domingo, 10 de janeiro de 2010

Consolo

EU não tenho nada a dizer hoje,
mas sei que tua dor é profunda.
Posso imaginar, daqui de longe, tuas lágrimas fumegantes a desfigurar-te a face,
e os teus planos, serem consumidos pela realidade cruel.
Eu poderia ter te dito que a morte é só um estágio, a salvação para a vida.
Já te disse um dia, que a vida é só uma interrupção no nada.
Que após a morte, seremos plenos, seremos energia.
Mas te disse um dia, e não hoje, que mais precisavas...
Eu calei, e e ouvi pelo telefone, teu choro, e tua voz cansada dizendo que a dor era grande.
Eu engoli a seco, todas as minhas certezas. Sabia que não te consolariam, que não te fariam parar de sofrer.
Aí, eu disse que sentia tanto, e que não tinha mais nada a dizer.
Desliguei o telefone, e meu discurso ficou ecoando. Eu, que vejo na morte uma saída, tive a impressão de estar equivocada.
Você estava triste, e talvez a tua mãe, ainda quisesse fazer tantas coisas.
Percebo, que além de tudo, da saudade, da dor (que passa), a morte traz incompletude. E isso, perdura para sempre.

5 comentários:

Priscila Rôde disse...

A morte não é uma saída, espero não me equivocar!
Adoro sua leveza Nine!
Um beijo.

Luan Fernando disse...

A morte marca o fim, nunca seria uma saída. Quando termina um ciclo é o fim e tristeza para todos os lados.

Rodrigo Fenty disse...

A morte é o nosso dilema..
é o alimento dos pessimistas.
Se não houvesse morte as pessoas não teriam motivos para cultivar o pessimismo, pois saberiam que sempre teriam tempo para recomeçar...

É triste mesmo...
é seco..
é a morte.

QueL MoraeS disse...

[ Morte...
Não sou pessimista, mas morte não é assim, escuro, "do mal", como todos pensam; ela é só o puro mistério, coisa de que não se conhece e nem dá para escrever.
Da morte, só se sabe a falta que faz daqueles que foram tragados por ela.
Ainda há uma luz após o tunel desconhecido. O fim é só o começo.]

Queria saber qual o mistério, Nine?
Seu jeito é fantástico, eu já disse, mas digo de novo!
Sinto muita falta.
Beijo e o abraço antigo!

Jora Batista disse...

Amiga querida

Agora, só agora tô encontrando forças para comentar o texto postado em minha homenagem.
Eu que sempre soube que a morte é inevitável, não queria que esse momento chegasse, não com o meu bem mais precioso, minha MÃE. Parece que todos os meus sonhos, pois ela estava incluída em cada um deles, se foram e não fazem mais sentido. Um pedaço enorme de mim foi arrancado brutalmente, de uma só vez, sem me dar tempo de ao menos perguntar o motivo.
Motivo, a morte não precisa de motivo, ela simplesmente vem e toma aqueles que amamos de forma que nos faz ter vontade de implorar para que sejamos levados também.
Como tocar minha vida com esses sentimentos ruins(dor, saudade eterna, angústia, completa impotência) que só a morte desperta de forma tão intensa?
Penso que devo tocar da forma que minha MÃE sempre me ensinou, de cabeça erguida e mostrando que posso ser mais forte do que muitos imaginam,más está sendo tão difícil, tão difícil.Tô juntando forças que estou obtendo através do amor de amigos como Você Nine, que se compadecem da minha dor, não somente pelo triste momento, más por comungarem comigo do verdadeiro sentido da palavra AMIZADE.
Sei que só o tempo vai amenizar o que estou sentindo, más que não devo deixar meus sonhos morrerem, até porque também eram da minha MÃE.Sei que a vida deve continuar, más gostaria muito de poder entender porque OS BONS MORREM JOVENS.Sei que minha MÃE agora está bem, pois não mais sofre as dores da carne, não mais precisa se deparar com falsidades e ingratidões e decepções típicas daqueles que não tem o dom de entender o que é o amor. E agora terminando de escrever, sinto que devo realizar nossos sonhos, e que se fiquei aqui é porque tenho forças para realizá-los.
Obrigada por tudo minha amiga.
Um beijo.

Ocorreu um erro neste gadget