segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Solstício sinestésico de saudades e perdas.

A manhã despertou com todas as nostalgias acesas.
Céu cor-de-lua-cheia, feito leite do café amargo de 'bom dia',
reiterava desdém à rotineira prece.
Tudo em volta era quietude complacente,
e o som de vento-lobo, anunciava solitário,
o frio polar e branco, de vazio.
Os olhos fechados, elogiavam o nada,
e se escondiam da rutilância efervescente das verdades.
Pupilas dilatadas, engolindo realidades fervilhantes aos montes.

9 comentários:

M. D. Amado disse...

"Os olhos fechados, elogiavam o nada..." - engraçado é que eu faço elogios ao nada constantemente, mas no meu caso de olhos abertos rs...

Muito bom menina! Excelente!

Dona Maria disse...

Senti aqui a quietude complacente.

Valéria disse...

Adorei o título da postagem, o conteúdo cheio de conteúdo, lindo jeito de escrever sobre saudade, perda, tristeza e olhos cheio de lágrimas.

BeijooO

Luan Fernando disse...

As inumeras formas da tristeza.
É difícil abri os olhos nesse ambiente do vazio.

Menina Misteriosa disse...

Ah, essas sensações que se cruzam... quase me levam à loucura!

http://meninamisteriosa.wordpress.com/
http://www.aceuabertodaboca.blogspot.com/

A Magia da Noite disse...

as realidades cegam o olhar que desperta dos sonhos onde nada mais brilha que o Sol.

Priscila Rôde disse...

"Pupilas dilatadas, engolindo realidades fervilhantes aos montes."

Imagino a dor...


Maravilhoso Nine.

QueL MoraeS disse...

Estou pensando no que comentar.

Não sei como sentir o que você escreveu.
Se fosse eu, o sentiria e só. Não conseguiria descrever meu estado.

Continuo pensando num bom comentário.
;)



P.S.: Não sei o que dizer diante das sensações que os seus textos despertam... tristeza, ora dor, e muitas vezes alegria, por perceber a singeleza que há em ti.
Saudade!

Fanfic Solstício disse...

Olá Aline!! Eu escrevi uma fanfiction de nome solstício, e achei esse seu poema muito pertinente ao meu enredo!! Gostaria de incluí-lo no anuncio da história, mas queria que vc soubesse que vou postar que o poema é de sua autoria e não minha!!
Meu email, para todos os efeitos, é raffaella.costa@hotmail.com

Um grande bjo e obrigada por discorrer tão bem sobre o dilema central da minha inspiração!! ^^

Ocorreu um erro neste gadget