segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Conto narrador-personagem na terceira pessoa [3]



E sucedeu uma saudade nova, dele, e que ela não conseguia controlar.
E era tão forte, e tão confortável, que ela se deixou acompanhar, peito aberto, e braços desejosos.
A meu bonitinho...

3 comentários:

Marcelo Mayer disse...

a saudade sempre ri de nossa cara!
gostei!

disse...

Lindiinho *_*

QueL MoraeS disse...

UhuUUuu! \o/
Que lindo, Nine!!
xD
Huum, viu?! Haiai... ÔôôÔ...
Eu e Dêh sobramos por aqui... =/
BeijãO!

Ocorreu um erro neste gadget