sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Natal...

Ontem, embora quisesse, não foi possível postar nada. Não sei o que aconteceu, mas a rede não favoreceu o meu sarcasmo, e pessimismo.
Mas falemos agora, no Natal e todo o cinismo que o circunda. Todas as promessas, e atitudes que são tomadas instantaneamente, e que se desfazem ao último “HoHo” do Noel no dia 25. Depois, os restos de Peru vão para o lixo, e quem não se falava na família, vai continuar se tratando com hostilidade.
A árvore de natal, volta pra caixa, e o menino do presépio, vai passar mais um ano em hibernação, principalmente na consciência, e ressuscitando infante, mais uma vez, no próximo Natal.

No final das contas, o propósito era encher a barriga de Comida, e ganhar uns presentes tolos.

4 comentários:

disse...

Aqui nao teve ceia nem presentes, nos sentamos pra conversar tomando guaraná;. Foi diferente, porque em minha familia o clima sempre foi de hipocrisia. Então foi possivel dizer oq nos incomodava em cada um, o que gostavamos, o que admirávamos, o que queriamos pro ano que vem.. coisas tantas que nunca imaginei conversar com minha tia de fora, por exemplo. Nao sei o que acontecerá dia 26 quando o natal tiver ido embora e os enfeites vermelhos nas ruas dêem lugar aos enfeites brancos do reveillón, mas é lindo viver momentos em familia. Mesmo que raros e altamente falsos. Eu gosto... não gostava, mas agora, gosto.

Anônimo disse...

Nessa época, nem todo mundo que olha para o céu está procurando o trenó do Papai Noel. Alguns estão atrás mesmo é de uma estrela que lhes aponte o caminho...

Felicidades.
Isabella.

Luan Fernando disse...

Quem diria que um dia o natal seria apenas isso. O mundo está cada vez pior...

Desejo um verdadeiro feliz natal para ti!

Rodrigo Fenty disse...

O natal é, atualmente, uma festa voltada para consumismo onde as pessoas só pensam em encher a cara e aproveitar a folga do trabalho...A maioria das pessoas infelizmente esquece o verdadeiro significado dessa festa: JESUS.
Me pergunto até quando vamos conviver com isso e até quando o pessismismo de Nine vai continuar tendo sentido.

Ocorreu um erro neste gadget